Apache Maven Project

Maven é ferramenta open-source de desenvolvimento de projetos java, tem por objetivo de aplicar padrões à infra-estrutura do projeto para promover compreensão e produtividade, com ele é possível criar builds, dependências, documentação, releases, distribuição entre outros.

O que é um POM.xml?

É um arquivo XML que contém informações sobre a configuração e detalhes do projeto usado por Maven, contém os valores padrões, como o diretório de build, target, o de origem src/main/java, de teste src/main/test, entre outros. E também pode herdar caracteristicas de outro POM.

Exemplo de um POM.xml

[sourcecode language='xml']

<project xmlns=”http://maven.apache.org/POM/4.0.0″  xmlns:xsi=”http://www.w3.org/2001/XMLSchema-instance”  xsi:schemaLocation=”http://maven.apache.org/POM/4.0.0  http://maven.apache.org/maven-v4_0_0.xsd”>

<modelVersion>4.0.0</modelVersion>
<groupId>com.javaworld.hotels</groupId>
<artifactId>HotelDatabase</artifactId>
<packaging>war</packaging>
<version>1.0-SNAPSHOT</version>
<name>Maven Quick Start Archetype</name>
<url>http://maven.apache.org</url>
<dependencies>
<dependency>
<groupId>junit</groupId>
<artifactId>junit</artifactId>
<version>3.8.1</version>
<scope>test</scope>
</dependency>
</dependencies>
</project>

[/sourcecode]

Descrição dos Nós
<project> Elemento raiz.
<modelVersion> Versões de objetos.
<groupId> Identificador da empresa.
<artefactId> Identificador do artefato.
<packaging> Tipo do artefato.
<version> Versão do artefato.
<dependencies> Lista de artefatos.

Visão Geral do Maven

Veja o vídeo do Thiago Ramos de como Criar um Projeto com Maven

Criando Projeto Com Maven from Thiago Ramos on Vimeo.

Documentação

http://maven.apache.org/

Publicado em Framework, Gerenciamento | Com a tag , | Deixar um comentário

O que é CMMI?

CMMI – Capability Maturity Model Integration – Modelo Integrado de Capacitação e Maturidade – é um framework para melhoria de processos de software, abrangendo todo o processo de desenvolvimento com o objetivo de elevar a qualidade dos projetos. O CMMI diz o que fazer e não o como.

É centrado na maturidade, visto que é um modelo para a melhoria contínua de processos das organizações, afim de torná-las mais maduras e eficientes no que tange processo de software.

Segue os níveis de maturidade:

CMMI Nível 1
• Inicial
• Satisfaz metas específicas da área de processo
• Processos, em geral, ad hoc e caóticos

CMMI Nível 2
• Gerenciado
• Planejado, executado, monitorado e controlado
• Requisitos são gerenciados e processos são planejados, executados, medidos e controlados

CMMI Nível 3
• Definido
• Processo é adaptado de um conjunto de processos padrão
• Processos são bem caracterizados e entendidos e são descritos por padrões, procedimentos, ferramentas e métodos.

CMMI Nível 4
• Gerenciado Quantitativamente
• Utiliza estatísticas
• Sub processo são controlados usando técnicas estatísticas ou quantitativas.

CMMI Nível 5
• Otimização
• Foco na melhoria contínua do processo
• Processos são continuamente melhorados baseando-se no entendimento estatístico das causas comuns de variação.

Além da integração dos modelos e redução dos custos com melhorias de processo, os seguintes objetivos também fazem parte do projeto CMMI:
• Aumento do foco das atividades
• Integração dos processos existentes
• Eliminar inconsistências
• Reduzir duplicações
• Fornecer terminologia comum
• Assegurar consistência com a norma ISO 15504
• Flexibilidade e extensão para outras disciplinas

Empresa que mantém o CMMI?

É a SEI – Software Engineering Institute. órgão da Universidade Carnegie Mellon, patrocinado pelo Departamento de Defesa dos Estados Unidos (Objetivo: a avaliação da capacidade dos fornecedores de software) e responsável pela elaboração e manutenção do modelo CMMI.

Quando começou CMMI?

O CMMI é oriundo do SW-CMM (Capability Maturity Model for Software) modelo de capacitação de processos de software, teve início em 1986, tendo sido publicada a versão 1.0 em agosto de 1991, como o SW-CMM não contemplava outras áreas importantes das organizações, tais como Recursos Humanos e Engenharia de Sistemas, outros modelos semelhantes foram criados para outras áreas, no entanto os diversos modelos apresentavam estruturas, formatos e termos diferentes, dificultando sua aplicação conjunta. Então com a finalidade de integrar os diversos modelos CMM o CMMI (Capability Maturity Model Integration) foi criado e em 1999, foi publicado o esboço (draft), versão 0.2: CMMI-SE/SW (Capability Maturity Model -Integrated – System / Software Engineering).

Versões CMMI:

Versão 1.0: Agosto de 2000
Versão 1.1: Março de 2002
Versão 1.2: Agosto de 2006 (CMMI for Development)
Versão 1.3: outubro de 2010

E porque preciso saber de CMMI?

Precisamos nos reinventar a cada dia, e o conhecimento é nosso maior aliado, além disto o CMMI é um modelo bastante aceito e possui alta credibilidade para medir a gualidade dos processos de uma organização, não é a toa que grande parte das empresas de TI estão buscando a certificação, pois já é uma Exigência do mercado para exportação, do governo para aquisição de softwares e um diferencial na concorrência entre empresas e diga-se de passagem, por enquanto, pois logo se tornara uma obrigação.
Há os que não acreditam no modelo, pois dizem que é extremamente burocrático, eleva os custo, vai contra os processos ágeis, etc. Mas independente disto o importante é estudar, até para poder formar uma opinião sobre e estar preparado para o mercado.

Certificações em CMMI:

http://www.pmi.org/Certification.aspx

Project Management Professional (PMP)®
Certified Associate in Project Management (CAPM)®
Program Management Professional (PgMP)®
PMI Scheduling Professional (PMI-SP)®
PMI Risk Management Professional (PMI-RMP)®

Link de cursos que achei na web, lembrando que são meramente para informação, pois não conheço a qualidade dos mesmos:

ISD Brasil – http://www.isdbrasil.com.br/servicos/cursos-oficiais.php
Software Process – http://www.swprocess.com.br/index.php?id=69
AHC – Consultorias – http://www.ahcconsult.com/treinamentos/curso-de-introducao-ao-cmmi

Download dos manuais de CMMI 1.3
CMMI for Development 1.3
CMMI for Services 1.3
CMMI for Acquisition 1.3

Alguns links que consultei, para escrever este post:

http://www.blogcmmi.com.br/

http://bptecnologia.wordpress.com/2010/05/04/governanca-de-ti-apostila-de-cmmi/

http://www.pmi.org/agile.aspx

http://www.swprocess.com.br/index.php?id=97#

http://www.youtube.com/user/ISDOnlineTV

Publicado em O que é... | Deixar um comentário

TED com Tim Brow sobre Design Thinking com legenda em português

Publicado em Banco de dados | Deixar um comentário

Usando Redes Neurais Artificiais – RNAs, para reconhecimento de padrões em imagens

Estudando alguns conceitos básico e importantes do processamento de imagens.

Processamento de imagens engloba as várias operações realizadas sobre uma imagem com o objetivo de otimizar a extração de informações e portanto ajudar a interpretação da imagem.
Uma imagem digital, é uma imagem f(x, y) discretizada tanto em coordenadas espaciais quanto em brilho. Uma imagem digital pode ser considerada como sendo uma matriz cujos índices de linhas e de colunas identificam um ponto na imagem, e o correspondente valor do elemento da matriz identifica o nível de cinza naquele ponto.
Os elementos dessa matriz digital são chamados de elementos da imagem, elementos da figura, “pixels” ou “pels”, estes dois últimos, abreviações de “picture elements” (elementos de figura). Quanto mais pixels uma imagem tiver melhor é a sua resolução e qualidade.

Segmentação

O papel básico da segmentação é extrair caracteres individuais. A saída do estágio de segmentação é constituída tipicamente por dados em forma de pixels, correspondendo tanto à fronteira de uma região como a todos os pontos dentro da mesma, Por exemplo, nível de cinza ou textura, regiões adjacentes devem ter valores significativamente diferentes com respeito à característica segmentada, interior das regiões deve ser simples e conectados.

Threshold Adaptativo ou Limiarização

Threshold é um dos métodos mais simples de segmentação de imagens. A partir de uma imagem em tons de cinza, o threshold pode ser usado para torná-la binária. Durante o processo de threshold, os pixels são divididos em dois grupos, na forma mais simples de threshold, a divisão é feita dependendo apenas se o valor do pixel é maior ou menor que o valor de threshold. Então um grupo é colorido de preto e o outro de branco, tornando a imagem binária. A divisão dos grupos de pixels pode ser feita com base em mais de um valor de threshold, dessa forma os pixels são divididos entre os que estão dentro de um intervalo formado por dois valores de threshold e os que não estão.

Transformada de Hough

A Transformada de Hough (TH) é um método padrão para detecção de formas que são facilmente parametrizadas (linhas, círculos, elipses, etc.) em imagens digitalizadas. O conceito principal da TH está em definir um mapeamento entre o espaço de imagem e o espaço de parâmetros. Cada borda de uma imagem é transformada por esse mapeamento para determinar células no espaço de parâmetros, indicadas pelas primitivas definidas através do ponto analisado. Essas células são incrementadas, e indicarão no final do processo, através da máxima local de um acumulador, quais os parâmetros correspondentes a forma especificada.

Morfologia Matemática

A morfologia matemática fornece uma abordagem sistemática para analisar as características geométricas dos sinais e de imagens, buscando identificar as formas e estruturas.
Geralmente, os operadores morfológicos transformam a imagem original em uma outra imagem através da interação com uma outra imagem menor de determinadas formas e tamanho, que é conhecido como o elemento estruturante. As características geométricas da imagem que são similares na forma e no tamanho ao elemento estruturante são preservados, enquanto outras características são suprimidas. As operações morfológicas podem simplificar os dados da imagem, preservando suas formas características e eliminando irrelevâncias. As operações morfológicas podem ser empregadas para muitos propósitos, incluindo a detecção da borda, segmentação, realce das imagens, reconstrução e outros.

Abertura e Fechamento

É a combinações de erosão e dilatação, ou seja a dilatação amplia as zonas claras da imagem e a erosão realiza o processo inverso, aumentando o domínio das regiões escuras.
Erosão e dilatação podem corrigir defeitos numa imagem com furos, conexões. Porém, o objeto alterado por essas operações não mantém o mesmo tamanho. A erosão reduz e a dilatação aumenta. Com a abertura e
o fechamento binários, podemos manter aproximadamente as características de forma e tamanho do objeto.

Referências

FERRAMENTA PARA AUXÍLIO AO DIAGNÓSTICO DE IMAGENS PULMONARES DE TOMOGRAFIA
COMPUTADORIZADA – http://74.125.155.132/scholar?q=cache:-9wVwSBgcVwJ:scholar.google.com/+defini%C3%A7%C3%A3o+threshold+adaptativo&hl=pt-BR&lr=lang_pt&as_sdt=0,5 – FILIPE VERNETTI GIUSTI

Um Implementação da Transformada de Hough Para Detecção de Linhas e Círculos – http://www.lcg.ufrj.br/Members/caique/transformada_de_hough.ppt/download – Antônio A. F. Oliveira, Carlos Henrique da C. Cavalcanti, Leonardo Oliveira B. de Carvalho

Uma Abordagem de Segmentação de Placas de Automóveis Baseada em Morfologia Matemática – http://74.125.155.132/scholar?q=cache:CMD8Zopth7YJ:scholar.google.com/+threshold+adaptativo&hl=pt-BR&lr=lang_pt&as_sdt=0,5 – Jonh Edson Ribeiro de Carvalho, Aura Conci

Publicado em Redes Neurais Artificiais – RNAs | Deixar um comentário

Cursando Gestão da Inovação da Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC.

Iniciei o curso de Gestão da Inovação o e-Nova, que é promovido pelo Departamento de Engenharia do Conhecimento da Universidade Federal de Santa Catarina (EGC/UFSC) e a Fundação Certi (Centros de Referência em Tecnologias Inovadoras), tem o apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e também da Recepet e da Rami.

O projeto busca a disseminação do empreendedorismo inovador e a geração de produtos e processos inovadores com sucesso técnico e mercadológico. Conta com uma equipe de conteudistas, mestres e doutores com grande experiência em Gestão de Projetos de Inovação, tem a educação a distância como modalidade, duração de 10 meses.

Os módulos estão divididos em:

Módulo Gestão da Inovação
Disciplina 1 – Gestão da Inovação
Disciplina 2 – Gestão de Projetos da Inovação

Módulo Financiamento da Inovação
Disciplina 1 – Políticas Públicas de CT&I
Disciplina 2 – Fontes de Financiamento da Inovação

Módulo Viabilidade da Inovação
Disciplina 1 – TIB – Mecanismos para a Competitividade das Inovações
Disciplina 2 – Análise da Viabilidade de Inovações

Módulo Desenvolvimento da Inovação
Disciplina 1 – Métodos e Ferramentas para o Desenvolvimento de Produtos Tecnológicos Inovadores
Disciplina 2 – Métodos e Ferramentas para Apoio à Qualidade na Fabricação de Produtos Tecnológicos Inovadores

O curso aborda temas de gestão relacionados especificamente à inovação, como gestão de pessoas e de processos, modelos de gestão, razões para inovar, entre outros. E ao final do programa, os vinte melhores estudantes e suas ideias inovadoras receberão assistência individualizada para desenvolvimento de trabalho prático. O e-Nova prevê também a publicação de livro com os resultados obtidos.
Borá estudar, pois minha meta é estar entre os vinte melhores.

Maiores informações no site da Fundação Certi e EGC-UFSC

Publicado em Carreira, Gerenciamento | Deixar um comentário

Tempo é muito mais do que dinheiro, gerenciando tempo com GTD

Acumulei tantas atividades que esta quase impossível viver sem um metodologia de “gerenciamento de vida” é engraçado, mas se não fizer um gerenciamento rigoroso não consigo ter lazer.

Nas promessas de todo o inicio de ano prometi que neste ano de 2011 terei ao menos um dia livre na semana para não fazer nada referente a trabalho e principalmente curtir o dia sem a culpa de ter tarefas atrasadas, neste sentido além das metodologias que já sigo nos meus projetos software como ITIL, SCRUM, etc. Comecei a estudar e praticar a GTD – Getting Things Done.

David Allen em seu livro Getting Things Done, ou “Produtividade Pessoal” e mais recentemente “A Arte de Fazer Acontecer”, diz que GTD é uma eficiente metodologia de organização pessoal que tem como objetivos:
• Fazer você trabalhar menos tempo
• Fazer você trabalhar mais produtivamente
• Liberar sua mente para pensar em coisas criativas
• Ter controle sobre tudo o que você tem a fazer

A GTD pauta-se no princípio de que precisamos tirar as tarefas de nossa mente e registrá-las em algum lugar, assim a mente fica livre do trabalho de lembrar de tudo o que necessita ser feito e pode se concentrar em realmente executar essas tarefas, tendo foco em fazer, no aqui e agora.
Segundo Babauta “É preciso criar uma base de organização mental e do ambiente para poder atingir o patamar desejado de produtividade com menos stress, liberando o nosso potencial criativo.”

A GTD diz que é preciso:
• Coletar
• Processar
• Organizar
• Revisar
• Executar

Segue algumas dicas que estão no livro David:
• Identifique o que pode ser passado para outra pessoa e delegue

• Faça logo o que exigir menos de dois minutos

• Coloque tudo em pastas. Não deixe pendências espalhadas em mesas ou gavetas

• Organize suas tarefas nessas pastas. Divida entre ações imediatas, tarefas para breve, informações para o futuro e missões com data certa

• Revise suas listas de ações uma vez por semana. Elimine o que foi feito e reordene o que não foi finalizado

• Reúna todos os seus números – conta de banco, senhas – em um único arquivo, ao qual só você tenha acesso

• Faça listas de possíveis presentes para as pessoas próximas. Quando o aniversário chegar, fica mais fácil ir às compras

• Mantenha uma lista de desejos para você: CDs, livros, aparelhos eletrônicos. Guarde também informações sobre aquele restaurante ou cidade que gostaria de conhecer

• Guarde telefones, endereços e datas de aniversário das pessoas que você conhece em um único lugar de fácil acesso

• Vai viajar em uma semana? Faça ao longo dos dias uma lista de tudo o que precisa levar

É bastante coisa e envolve uma mudança de hábitos, por isto por hoje chega, assim que for me aprofundando mais no estudo vou postando aqui no blog e borá fazer minha lista de tarefas.

Bibliográfica Consultada

GTD: Conheça um método eficaz de organização e produtividade pessoal que pode melhorar sua motivação e seus resultados

http://www.efetividade.net/2006/11/11/gtd-conheca-um-metodo-eficaz-de-organizacao-e-produtividade-pessoal-que-pode-melhorar-sua-motivacao-e-seus-resultados/

Nota: Artigo bem legal do Augusto Campos

Arrumando a Cozinha com GTD, Scrum, Pomodoro e TDD

http://www.slideshare.net/seatecnologia/cozinha-4620364
Nota: Tive interesse real por GTD após ver o vídeo produzido por Bruno Pedroso, que além do GTD ele expõem outras metodologias que auxiliam na organização.

Wikipedia
http://pt.wikipedia.org/wiki/Getting_Things_Done

Getting Things Done (GTD), de David Allen, um guia de produtividade pessoal e a arte de fazer acontecer
http://fatorw.com/resenhas/getting-things-done/
Nota: Blog do Walmar Andrade, tem alguns artigos bem legais de GTD

ZEN TO DONE
http://xa.yimg.com/kq/groups/17371930/1578380509/name/ztd.pdf
Nota: Este livro é uma nova metodologia ZTD (Zen To Done) uma mistura de GTD com e 7 Hábitos de Pessoas de Sucesso de Stephen Covey foi escrito e criado por Leo Babauta e traduzido por Ibrahim Cesar

Os Sete Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes
http://www.mettodo.com.br/pdf/Os%207%20H%E1bitos%20das%20Pessoas%20Altamente%20Eficazes.pdf

Publicado em Gerenciamento | Deixar um comentário

Minha participação no programa Ciência & Pesquisa

Grupep comemora 10 anos com inovações
A professora e arqueóloga Deisi farias e a analista de sistemas Chaiane Brasil falam sobre a Grupep

Publicado em Carreira, Trabalhos | Deixar um comentário

Computação Movel

A expansão e a sofisticação dos computadores, da infra-estrutura e dos serviços de comunicações de forma tão rápida nestas últimas décadas, se deu simultaneamente à evolução de seu uso, essas tecnologias penetraram nas mais diversas áreas da atividade humana. A relação homem máquina passou de meras interações pontuais restritas a grandes grupos, a necessidades triviais e essenciais na vida cotidiana de qualquer ser humano.
Os interesses em utilizar dispositivos menores e mais rápidos, juntamente com o acesso à informação em movimento, vêm contribuindo para o desenvolvimento da computação móvel, que segundo Araújo (2003, p.49).

Baseia-se no aumento da nossa capacidade de mover fisicamente serviços computacionais, ou seja, o computador torna-se um dispositivo sempre presente que expande a capacidade de um usuário utilizar os serviços que um computador oferece, independentemente de sua localização.

O desenvolvimento de aplicações e serviços que contribuem para o crescimento da computação móvel a torna um potencial mundial, a telefonia celular se expande a taxas históricas, no Brasil segundo a Anatel são quase 92 aparelhos para cada 100 habitantes, demonstrando o grande interesse do seu uso, que abrange a comunicação, trabalho, entretenimento, educação, localização, entre outros. Sendo convenientes para profissionais e usuários comuns.

No principio a comunicação através da voz era objetivo único dos celulares, mas com a agregação de serviços e novas tecnologias, expandiram para o intercambio de informações utilizando diversos meios, como:

Voz: no que se refere comunicação de voz utilizando dispositivos móveis como telefones celulares, as mudanças foram muitos sutis, mas em relação aos meios de transferência ouve uma grande evolução, como por exemplo, a utilização de VoIP nos equipamentos.

Áudio: Os dispositivos também são utilizados para reprodução e criação de áudio.

Texto: É possível o envio e troca de mensagens em formato texto, entre os usuários e também sistemas.

Imagem: Recebem e enviam dados de imagem, também possibilitam fotografar e compartilhar, conquistando um grande nicho de mercado.

Vídeo: Criar, assistir e compartilhar vídeos.

Publicado em Banco de dados | Deixar um comentário

Premiação para melhores trabalhos da UnA Tecnológica

Certamente, os maiores centros de inovação tecnológica costumam surgir dentro das universidades. Descobertas científicas muitas vezes nascem de projetos acadêmicos. E é para estimular essas iniciativas que pela 1ª vez, a UnA Tecnológica da Unisul premiou os melhores trabalhos feitos pelos alunos, nesta quinta-feira (2/12), no auditório do Cettal.

Durante uma semana, a Unidade Tecnológica contou com a apresentação de mais de cem projetos, relatórios de estágio e trabalhos de conclusão de curso. No mesmo período, ocorreu a Maratona de Informática e o Campeonato de Robocode. E a partir dos trabalhos apresentados, foram julgados os melhores trabalhos para receberam a premiação.

Alunos, professores e coordenadores dos dez cursos que fazem parte da UnA, como Agronomia, Arquitetura e Urbanismo, Ciência da Computação, Engenharia Civil, Engenharia Química, Matemática, Química Industrial, Sistemas de Informação e Tecnologia em Redes de Computadores, estiveram presentes para prestigiar e homenagear seus colegas e amigos.

Feliz em receber a premiação, Samara Silva de Souza, formanda do curso de Engenharia Química, afirma que não esperava receber o prêmio e que o evento precisa continuar. “É uma satisfação enorme. Sinto que meu dever está cumprido desses anos todos que estive na faculdade”.

Além dos prêmios, uma medalha de participação foi entregue aos alunos que participaram da maratona e campeonato, onde foi possibilitado que os alunos aplicassem os conhecimentos adquiridos nas áreas de algoritmos, programação e redes de computadores.

Futura arquiteta, Júlia Rocha Alves, formanda de Arquitetura e Urbanismo, relata que sairá do curso muito mais motivada, pois, é o reconhecimento de tanto esforço. “. Foi uma surpresa enorme e muito gratificante. Foram cinco anos de bastante esforço e trabalho e com certeza esse prêmio também representa a dedicação dos meus colegas”, enfatiza.

Orgulhosa de sua filha Júlia, Elizabeth Rocha Alves, diz que se sente realizada em ver todo o esforço de sua filha ser recompensado. “Só eu sei toda a dedicação que ela teve neste trabalho, minha filha é mais que vencedora. Este evento precisa continuar para que cada vez mais apareça trabalhos tão bons quantos estes”, disse.

Milene Pacheco Kindermann, Diretora do Campus, esteve presente no evento e agradeceu aos professores e coordenadores a realização dessa proposta de reconhecimento aos alunos. “A premiação representa a excelência das nossas áreas e todo o trabalho que elas desenvolvem para o conhecimento”, comenta.

Segundo o coordenador da UnA, Rafael Ávila Faraco, a premiação será feita em todos os semestres. O reconhecimento vai além de uma noite, se materializa na vida do acadêmico. “A recompensa é algo inegável para o aluno depois de tanto esforço. Os trabalhos também são importantes para a universidade pelas profundas pesquisas de qualidade que os acadêmicos desenvolveram”, afirma.

Na UnA, ao todo são mais de 2.500 alunos e 300 professores, na sua maioria mestres e doutores, envolvidos em atividades de ensino, pesquisa e extensão. A convergência de áreas e de ações acadêmicas faz da Unidade Tecnológica um ambiente propicio para a formação e desenvolvimento de pesquisa de alto nível tecnológico.

Foram premiados os seguintes trabalhos:

Agronomia – “Manejo e Reprodução de Espécie Piscícolas”, do acadêmico João Guilherme de Souza.

Arquitetura e Urbanismo “Sede do Poder Executivo Municipal – Jaguaruna” da acadêmica Júlia Rocha Alves.

Ciência da Computação – “Shell para desenvolvimento de Sistemas Especialistas para WEB” de autoria dos alunos Emerson Mondolon e Thiago Ghisi.

Engenharia Civil – “Avaliação do potencial de economia de água potável em uma unidade escolar e viabilidade econômica de implantação de um sistema de aproveitamento de água da chuva: estudo de caso em Tubarão/SC” dos alunos Manuela Mateus de Bona e Samuel Nunes Cardoso.

Engenharia Química, modalidade relatório de estágio – “Estudo ambiental da gestão de resíduos sólidos das empresas de gesso no município de Tubarão” da acadêmica Maria Alice Prado Cechinel.

Engenharia Química, na modalidade Projeto de Graduação – “Projeto de viabilidade Técnico-economico para produção de Biopolímeros utilizando bagaço de cana como substrato” dos alunos Francine Pereira Menegali, Gustavo Eing Cargnin, Jhessica Ketlyn Hanauer, Samara Silva de Souza, Sibila Souza da Silva.

Licenciatura em Matemática – “Organização Financeira Familiar”, autoria de Marco Aurélio Silva Prevê e Wander Luiz da Rocha.

Química Industrial – “Desenvolvimento e criação de novos produtos cerâmicos”, da aluna Renata Geremias.


Sistemas de Informação – “Desenvolvimento de uma aplicação computacional móvel para qualificação do processo de trabalho dos arqueólogos”, da acadêmica Chaiene Machado Brasil.

Tecnologia em Redes de Computadores – “VNP camada 3 em redes MPLS” dos acadêmico Roberto Goulart Mendes.

Fonte: http://portal2.unisul.br/content/jornalunisulhoje/home/integradanoticia.cfm?objectid=ADCDD0EB-3048-6857-88AF9627D2E70D7E&secao=Geral

Publicado em Carreira, Trabalhos | Com a tag , , | Deixar um comentário

Hibernate Query Language (HQL)

HQL é uma linguagem de consulta utilizada no Hibernate que também aceita SQL, no entanto a HQL tem a vantagem ser orientada a objetos, ou seja, representar consultas SQL usando objetos e e compreende noções de herança, polimorfismo e associações. Possui inúmeras funções como de agregação (por exemplo: sum (), max ()) e cláusulas, como por grupo.

Veja documentação completa em português de HQL  no site do Hibernate.

Publicado em Hibernate | Deixar um comentário